Artigo_Avaliação-de-pessoas_-desafios-e-oportunidades

Metodologia DISC

“A pessoa certa para o lugar certo!”. “Maximizar os talentos da equipa!”. “Interações e estilos de comunicação adaptados às especificidades do chefe, do colega, do subordinado…!”. “Alinhar egoísmos individuais rumo a um objetivo comum, bem maior…!”. “Elevar os níveis de entusiasmo e envolvimento das pessoas…!”

 

Quem gostaria de ter estas premissas espelhadas na sua equipa? Quais os ingredientes para alcançar tudo isto? Quais as receitas? Quais as metodologias? Como o conseguir a maior parte do tempo?

 

Bem, a resposta não será conclusiva. Mas um dos pontos fundamentais passa por conhecer com algum grau de profundidade a forma provável como cada colaborador se comportará: Como reage perante a pressão? Pensa no que diz ou diz o que pensa? Alguém de ritmo rápido ou ritmo lento? Orientado para alcançar resultados ou focado no cumprimento de normas e procedimentos? Gosta de trabalhar em equipa, é empático e tem competências de escuta? Prefere ambientes que proporcionem interação, onde possa influenciar e persuadir? Gosta de inovar e abraçar as mudanças ou prefere ambientes estáveis e serenos?

 

Estas são algumas das questões que a metodologia DISC consegue responder. Assente na teoria postulada pelo Psicólogo William Marston, examina os padrões de comportamento em determinados ambientes. Dependendo da combinação de fatores internos – perceção do poder pessoal no ambiente – e externos – perceção da favorabilidade do ambiente – chega-se a 4 fatores determinantes – Decisão, Interação, Serenidade e Cumprimento. Assim, o fator Decisão dá-nos informações acerca do modo como o indivíduo reage perante problemas e desafios; o fator Interação como se relaciona com os outros; o Serenidade como lida com modificações e acontecimentos e, finalmente, o fator Cumprimento dá-nos dicas de como reage perante as regras e os procedimentos estabelecidos. Todos nós temos características de cada um destes fatores, sobressaindo-se em termos de perfil comportamental apenas dois. Com algumas informações recolhidas, através desta metodologia, poderemos elaborar o mapa comportamental da equipa, conseguindo tomar decisões mais sustentadas acerca de quais os perfis mais adequados para trabalharem em conjunto, perante objetivos concretos.

 

Se quiser elevar o conhecimento que tem do perfil comportamental da sua equipa contacte-nos!

 

Este artigo foi escrito por:

Vera Fernandes | Project Manager@Team Building