CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO

Se queremos ser competitivos temos de fazer diferente. Para mais do mesmo temos a mão-de-obra de países que não acrescentam grande valor aos seus produtos. Para isso, temos de acabar com a postura retrógrada do “para pensar, estou cá eu! Tu faz o teu trabalho!?…” como se os dois aspetos fossem inconciliáveis. Assim, devemos dar ênfase às várias formas de promover a criatividade, de modo a que a proliferação de ideias resulte em inovação efetiva, rumo à conquista dos mercados mais exigentes. Também devemos conhecer o perfil da pessoa criativa, estimulando a seleção de indivíduos que quebrem as convenções, pensando realmente “out of the box”, isto é, para além do limite do previsível. É desta massa que se fazem as grandes empresas!